7 de abr de 2011

O HETERODOXO E ATORMENTADO MUNDO DOS GÊNIOS...

PERFECCIONISMO?!
As excentricidades de artistas e gênios são
conhecidas pela  peculiar maneira (única e inusitada), de escrever sua história de vida.  Ninguém  entretanto  personifica o papel do excêntrico melhor  que um jogador de Xadrez profissional. Quase todos os grandes campeões de Xadrez da história, desde  la Bourdonnais até o americano Bobby Fischer, seguiram um caminho estranho e muitas vezes obscuro e tortuoso na vida. Por que? O que os impede que  de viver uma vida "normal", dentro dos parâmetros tradicionais da sociedade? Paul Morphy  que  durante sua  curta e deslumbrante carreira   bateu uma série de adversários de olhos vendados recusou-se a jogar Xadrez por dinheiro,  tentou  uma carreira "respeitável" como advogado, mas foi  vítima de sua própria mente excêntrica que  culminou em um mundo de loucura, acabando por morrer um homem triste e miserável. Lionel Kieseritzky  desejava viver em Paris e jogar  Xadrez para o seu sustento pois havia desistido de uma promissora carreira como  professor. Não deu certo. Apesar de suas qualidades como jogador  Kieseritzky foi  incapaz até mesmo de ganhar dinheiro suficiente para voltar para sua terra natal, morreu sozinho e em situação de extrema pobreza, em Paris. O gênio  Akiba Rubinstein, um dos maiores jogadores de Xadrez de todos os tempos,  falava várias línguas, mas nada escrevia por  não ter recebido sequer a instrução primária, brilhou no início de sua carreira mas enlouqueceu e passou o resto de sua vida em um asilo. Suas magníficas performances mesclam
BIPOLARIDADE?!
histórias trágicas que poderiam nos dias 
atuais serem diagnosticadas como 
bipolaridade?!  A incapacidade dos grandes campeões de funcionar na sociedade tradicional é impressionante. Seria a busca da perfeição absoluta?  Talvez seja a proeza nas análises para ter sucesso ao mais alto nível do jogo... Seja como for, alguns gênios do Xadrez viveram  suas vidas  dentro e fora dos tabuleiros de uma maneira excêntrica, conturbada...

Nenhum comentário:

Postar um comentário