6 de set de 2010

SIGA O MESTRE


Como progredir com tanto material sobre xadrez ? Uma das melhores maneiras de desenvolver é estudar as vidas e partidas dos MESTRES. Sua escolha dependerá do gosto pessoal e estilo, mas procure estudar coleções de partidas que contenham anotações que expliquem o que o MESTRE estava pensando. Esse método de estudo ensina claramente todas as fases da partida: abertura, meio-jogo e final e ainda tem um mérito complementar: pode ser bem mais fácil do que o estudo de fragmentos do jogo que aparecem nos tratados de estratégia e de finais, pois adquire-se uma visão panorâmica (totalizante) do jogo além do "clareamento" sobre manobras difíceis. Aos poucos, aprende-se como proceder em posições típicas/teóricas! Escolha um MESTRE, por exemplo: Capablanca, Alekhine, Smyslov, Keres, Jussupow, Anand, Ivanchuc, etc... Se o MESTRE for um jogador "antigo" (Tarrasch, Alekhine, Rubinstein, Bogoljubow) haverá a vantagem de você entender os planos mais facilmente porque seus rivais não tinham conhecimento de estratégia tão profundo para impôr uma resistência forte. Se o MESTRE for um jogador contemporâneo (Kasparov, Kramnik,Topalov,etc), os planos serão mais difíceis de compreender porque não poderão ser executados de forma pura, já que os adversários conhecem os planos e tentarão se desviar do abismo. Estude inúmeras vezes, até começar a conhecer as partidas de memória!! Petrosian, por exemplo, sabia de memória mais de uma centena de partidas de Nimzowitsch. Ele mesmo dizia que dormia com o livro de Nimzowitsch embaixo do travesseiro. É impressionante a lista de GMs que defendem esse tipo de estudo: Karpov, Tahl, Seirawan, Benko, Browne, Csom, Federowicz, Schmid, Robatsch, Kotov, Petrosian, etc... O grande campeão mundial Gari Kasparov, que possui um conhecimento enciclopédico diz: "As partidas de Alekhine e seus comentários exerceram uma grande influência sobre mim desde os primeiros anos. Fiquei apaixonado pela rica complexidade de suas idéias sobre o tabuleiro. Os ataques de Alekhine brotavam inesperadamentee, como terríveis tempestades surgindo de um céu claro. A partir daí, fui estimulado a querer jogar no mesmo estilo dinâmico do grande campeão mundial nascido na Rússia."
O GM inglês John Nunn escreveu: "uma verdade é trivial: quem deseja prever o futuro deve conhecer bem o passado. Não se pode falar de cultura enxadrística se não se conhece as partidas de Rubinstein, Nimzowitsch, Capablanca e Alekhine e outros". Aprende-se tudo: desenvolvimento da iniciativa e a realização de um ataque, a elaboração do plano e a forma de jogar os finais, porém o mais importante é o modo como eles exploravam suas vantagens....

Nenhum comentário:

Postar um comentário